Associação Nacional dos Agentes de Segurança Institucional do MPU e CNMP

Suspeitos de planejar morte de procurador da República e juiz são presos em Alagoas

Após conclusão do inquérito, presos serão denunciados por crime de formação de quadrilha.

Cinco pessoas suspeitas de participação no plano criminoso para assassinar o procurador da República Rodrigo Tenório, da Procuradoria da República no município de Arapiraca, e o juiz federal da 8ª Vara Federal Rubens Canuto Neto foram presas na manhã de hoje, 26 de março, pela Polícia Federal (PF). As prisões e o cumprimento de mandados de busca e apreensão da chamada Operação Agreste foram requeridos pelo Ministério Público Federal em Alagoas (MPF/AL) e determinados pela 8ª Vara Federal em Arapiraca.

Segundo o procurador da República Daniel Ricken, entre os presos estão o mandante do plano e as pessoas que seriam contratadas para executar as autoridades. Os nomes deles não foram divulgados, já que o inquérito policial ainda está em andamento. Um dos presos é um policial rodoviário federal. As prisões aconteceram nos municípios de Atalaia e Tanque D’Arca.

A investigação feita em conjunto pelo MPF, PF, Polícia Militar de Alagoas e Polícia Rodoviária Federal chegou à informação de que os pistoleiros receberiam cem mil reais para executar o procurador da República e o juiz federal. Após a conclusão do inquérito pela PF, os autos serão remetidos para o Ministério Público Federal, que deverá denunciar as pessoas indiciadas pelo crime de formação de quadrilha para prática de crime hediondo, previsto na Lei nº 8.072/90 (que trata dos crimes hediondos consumados ou tentados) e no artigo 288 do Código Penal. A pena prevista para esse tipo de crime varia de três a seis anos de reclusão. Segundo a Polícia Federal, os presos podem ter envolvimento com crimes de pistolagem e roubo de carga em Alagoas.

A existência do plano para eliminar as autoridades federais foi descoberta em 29 de janeiro. No dia 8 de fevereiro, o procurador-geral da República, Antonio Fernando Souza, tornou o caso público durante uma entrevista coletiva realizada em Maceió. A partir da descoberta do plano, as autoridades passaram a receber proteção, feita pela PF, agentes de segurança institucional do MPF e pela PRF.

“O sucesso da investigação foi possível graças à atuação conjunta e intensa de todos os agentes envolvidos no combate à criminalidade em Alagoas”, observou o procurador da República Daniel Ricken.

Luiza Barreiros
Assessoria de Comunicação
Procuradoria da República em Alagoas

Quem somos

Enquete

Desculpe, não há enquetes disponíveis no momento.

Convênios


Associação Nacional dos Agentes de Segurança Institucional do MPU e CNMP
SAF-SUL Quadra 04, Lote 03 - Sala S.04.4
DTI/AGEMPU Brasília - DF
CEP: 70.050.900
Tel: (61)3224-9273 / (61)3223-6707


Por GB Criação de sites