Associação Nacional dos Agentes de Segurança Institucional do MPU e CNMP

4º Simpósio de Segurança promove integração dos setores público e privado no combate ao crime

Brasília, 10 de setembro de 2021.

Com uma marca de 3,3 mil inscritos acompanhando simultaneamente a versão online, encerrou, nesta quinta-feira (2), o 4º Simpósio Internacional de Segurança, realizado pela Associação Nacional dos Delegados de Polícia Federal (ADPF), por meio da Diretoria Regional do Distrito Federal. O número de inscritos superou a participação na edição passada ocorrida, em 2020, também de forma virtual em razão da pandemia do novo coronavírus.

Este ano, foram quatro dias de evento, de 30 de agosto a 2 de setembro, pela primeira vez, em formato híbrido com um número restrito de convidados para assistir, presencialmente, os nove painéis temáticos apresentados por especialistas nas áreas de inteligência, segurança e inovação. O Centro Internacional de Convenções do Brasil (CICB), em Brasília, foi o espaço que abrigou a megaestrutura de gravação para os inscritos na versão online, respeitando todos os protocolos de segurança sanitária.

Estrutura de gravação do 4º Simpósio, no CICB, em Brasília. Organização obedeceu às medidas restritivas de segurança sanitária

Enquanto ocorriam as apresentações, era possível agendar reuniões virtualmente com as empresas participantes de nove países que demonstravam soluções tecnológicas de combate ao crime. “Esse é um evento que se propõe a melhorar a segurança pública nos órgãos de todo o País e contribuir naquilo que é um direito fundamental do brasileiro que é ter paz e segurança”, disse o presidente da ADPF, delegado federal Edvandir Felix de Paiva.

Segundo o vice-presidente da ADPF e coordenador-geral do simpósio, delegado federal Luciano Leiro, o objetivo maior do evento é poder difundir todo esse conhecimento, o que há de mais moderno em soluções tecnológicas de segurança para todo o Brasil e o mundo. “E colocar a ADPF como um instrumento de promover, divulgar e difundir o que tem de melhor, não apenas em tecnologia, como em outras áreas relacionadas à segurança pública, como ocorre em outros eventos promovidos pela entidade”, afirmou.

O simpósio contou com o patrocínio de 20 marcas nacionais e internacionais e apoio institucional do Ministério da Justiça e Segurança Pública, Polícia Federal, Fundação de Apoio à Pesquisa do Distrito Federal (FAPDF) e Secretaria de Estado de Segurança Pública do Distrito Federal (SSP/DF), entre outras instituições.

Delegados federais Luciano Leiro, vice-presidente da ADPF e coordenador do Simpósio, e Anderson Torres, ministro da Justiça e Segurança Pública

Ministra conselheira e chefe adjunta de missão da Embaixada Britânica, no Brasil, Melanie Hopkins, e presidente da ADPF, delegado Edvandir Paiva

Painel 1

A programação iniciou, na segunda-feira (30), com o painel “Operações Integradas” mediado pelo presidente da ADPF, delegado federal Edvandir Felix de Paiva. O delegado de Polícia Federal e secretário de Operações Integradas do Ministério da Justiça e Segurança Pública, Alfredo de Souza Lima Coelho, apresentou o tema “Tecnologia e Operações de Fronteira”.

Em seguida, Eduardo Negreiros, diretor da América Latina, da Cellebrite, apresentou o tema “Transformação Digital na Investigação”. Logo após, o consultor em Inteligência e Segurança Pública da Dígitro, Humberto de Sá Garay, falou sobre “Navegação Investigativa de dados aplicada às atividades de Segurança Pública”.

E o tema “Interoperabilidade entre sistemas de rádio comunicação TETRA e P25” foi apresentado pelo presidente da Motorola Solutions, no Brasil, Elton Borgonovo.

Painel 2

O segundo painel “Sistema Penitenciário” teve como palestrantes a delegada de Polícia Federal e diretora-geral do Departamento Penitenciário Nacional (Depen), Tânia Maria Matos Ferreira Fogaça, com o tema “Estratégias para Transformação do Sistema Prisional Brasileiro”; o secretário de Justiça e Sistemas Penal e Socioeducativo do Rio Grande do Sul, Mauro Luciano Hauschilb, falando de “Monitoramento Eletrônico como Instrumento de Inteligência para o enfrentamento da criminalidade”; e Thiago de Freitas Reis, gerente-geral de Vendas Nacional na VMI Security, que apresentou o tema “Inteligência artificial: tendências da inspeção com identificação automática de ameaças na Segurança Pública”.

O debatedor foi o delegado de Polícia Federal e diretor de Inteligência Penitenciária do Depen, Josélio Azevedo de Sousa.

Painel 3

No terceiro painel temático, “Inteligência na Investigação”, palestraram Bruno Dantas Nascimento, ministro vice-presidente e corregedor do Tribunal de Contas da União com o tema “Uso estratégico de tecnologia nas ações de controle do TCU”; Giovani Cristófaro, presidente da TechBiz Forense Digital, que falou sobre “Tecnologias disponíveis ao crime: Como podemos passar à frente do inimigo?”; e Joe Courtesis, ex-comandante da NYPD, apresentando o tema “Incorporando mídia social em investigações criminais”.

Quem mediou o debate foi o delegado de Polícia Federal e superintendente Regional da Polícia Federal, no Espírito Santo, Eugênio Ricas.

Painel 4

O último painel a ser apresentado no primeiro dia foi “Combate ao Crime Organizado”, começando com o tema “Novas estratégias de investigação: o desenvolvimento de tecnologias de gestão e análise criminal”, que teve como palestrante, o delegado de Polícia Federal e diretor de Investigação e Combate ao Crime Organizado da PF, Luís Flávio Zampronha de Oliveira.

O segundo tema desse painel, “Transformação de Inteligência Blockchain em Processos bem-sucedidos: Um guia do Investigador”, foi apresentado pelo ex-diretor assistente do FBI e diretor global de Tecnologia para o Setor Público da Chainalysis, Gurvais Grigg.

Thomas Jones, presidente da REI, falou de “Ameaças a Vigilância Moderna e Contramedidas de Vigilância Técnica”. E, Rosiel Dias, diretor de vendas da HEX 360, abordou o tema “Inteligência 360 no combate ao crime”. O debatedor foi o delegado federal Luciano Leiro, vice-presidente da ADPF.

2º dia de apresentação dos painéis temáticos

Painel 5

O segundo dia começou com o painel “Inovação, Tecnologia e Segurança – II Desafio SINTSP”, no qual, foram apresentadas as três propostas vencedoras da chamada pública realizada pela ADPF com apoio da Fundação de Apoio à Pesquisa do Distrito Federal (FAPFD), como parte da programação do simpósio.

 

Painel 6

Em seguida, o painel “Inteligência Artificial e Combate ao Crime” trouxe como palestrantes o presidente do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), Alexandre Cordeiro, falando de “Ferramentas de inteligência e combate aos ilícitos econômicos”; o vice-presidente Executivo Latam – Voyager Labs, Marcelo Comite, com o tema “Lutando contra o Crime Organizado – Como a Inteligência Artificial pode apoiar sua investigação com valiosos insights”; e o advogado gerente da Unidade de Crimes Digitais – Microsoft EUA, Richard Boscovich, que falou sobre “Unidade de Crimes Digitais – Como a Microsoft colabora com organizações policiais no mundo”.

O delegado de Polícia Federal e superintendente da Polícia Federal, no estado de São Paulo, Rodrigo Piovesano Bartolamei, foi o debatedor.

Painel 7

No painel “Segurança Pública e Smart Cities”, se apresentaram, o delegado de Polícia Federal, presidente do Colégio Nacional de Secretários de Segurança Pública (Consesp) e secretário de Segurança Pública do Tocantins, Cristiano Barbosa Sampaio, com o tema “A importância da tecnologia para a Segurança Pública – Integrações nacionais – experiências e expectativas”; o executivo de Soluções de Governo da Huawei Brasil, Ricardo Carrion Mansano, falando de “Soluções para Cidades/Estados Seguros e Inteligentes na era do 5G e Nuvem”; e Frederico Bonincontro, general manager Latam da Cognyte, que abordou o “O Futuro das Investigações Criminais: Agindo Preditivamente com Análises Avançadas de Dados”. O vice-presidente da ADPF, delegado federal Luciano Leiro, foi o debatedor.

Painel 8

O painel “Tecnologia a Serviço da Segurança” trouxe palestrantes como o delegado de Polícia Federal e diretor de Tecnologia da Informação e Inovação da Polícia Federal, Alessandro Moretti, que abordou o tema “Transversalidade da TIC como ferramenta de enfrentamento ao crime”; o gerente de Negócios da Rohde e Schwarz, Luiz Péres, que falou sobre “Monitoramento de Comunicações Satelitais em apoio às operações policiais”; o coordenador de Segurança da Informação, Ricardo Sewaybriker, representante do Bradesco e da Federação Brasileira de Bancos (Febraban), palestrando sobre “A tecnologia e o fator humano”; e o Head de Cyber Segurança da Stefanini Rafael, Alexandre Veiga, falando de “Soluções de monitoramento de deep e dark web para investigação”. O debatedor foi o presidente da ADPF, delegado federal Edvandir Paiva.

 

Painel 9

No último painel da programação, quem palestrou foram o delegado de Polícia Federal e secretário de Segurança Pública do Distrito Federal, Júlio Danilo Souza Ferreira, que falou sobre o “O uso da tecnologia no enfrentamento à violência contra a mulher pela SSP/DF”; o chefe da Divisão de Operações de Inteligência do Centro de Inteligência do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios, Rômulo Palhares, com o tema “A importância e tendências nas soluções de captura de áudio e vídeo  nas operações de inteligência”; e o head Latam da Ntechlab, José López Martin, falando de “Reconhecimento facial: Arquitetura e visão funcional de um sistema de larga escala”. A debatedora foi a delegada e chefe da Polícia Civil do Rio Grande do Sul e presidente do Conselho Nacional dos Chefes de Polícia (CONCPC), Nadine Tagliari Farias Anflor.

 

link:
 
https://web.adpf.org.br/noticia/adpf/4o-simposio-de-seguranca-promove-integracao-dos-setores-publico-e-privado-no-combate-ao-crime/
 
 
Associação Nacional dos Agentes de Segurança Institucional do MPU e CNMP
Tel: (61)3224-9273 / (61)3223-6707


Por GB Criação de sites em Brasília